Você conhece os tipos de redes ópticas existentes?

As redes ópticas têm se tornado cada vez mais importantes para que operadoras e provedores atendam a demandas por tráfego de dados em alta velocidade. A pandemia também exigiu novos investimentos para suportar a mudança abrupta no perfil de consumo de dados, o incremento no consumo residencial, o que tem exigido serviço com alto nível de qualidade para suportar o profissional em home office, por exemplo.

A fibra é o elemento fundamental para o avanço das telecomunicações em todo o mundo. O principal benefício das redes ópticas é a escala, permitindo um crescimento exponencial de banda larga, ao mesmo tempo em que reduz os custos de instalação e manutenção, trazendo mais flexibilidade para as arquiteturas de redes de telecomunicações atuais.

Conheça agora os tipos de redes ópticas.

FTTx, ou “Fiber to the x” é um termo genérico para uma arquitetura de rede de banda larga através de fibra óptica. Ela veio para substituir por completo ou em parte do cabeamento utilizado para telecomunicações.

Uma rede óptica passiva (PON – Passive Optical Network) é uma rede ponto-multiponto onde a fibra chega até a rede do usuário final. É composta de divisores ópticos passivos que são utilizados para permitir que uma única fibra óptica atenda diversos usuários finais, variando entre 32 a 128. Uma configuração PON reduz a quantidade de fibra e equipamentos na central quando comparadas com as arquiteturas ponto a ponto.

Todas as aplicações finais que compartilham uma fibra recebem os sinais transmitidos pela central. Para os sinais que retornam dos pontos de acessos, os mesmos são combinados usando protocolo de múltiplo acesso.

Uma rede FTTx pode apresentar várias arquiteturas:

  • Fiber to the node (FTTN) – Fiber-to-the-node – ao sair da central, essa conexão liga-se à um armário de rua ‘’street cabinet’’ com a conexão final ao cliente sendo de cobre.
  • Fiber to the curb (FTTC) – onde a fibra vai até um armário na rua e a distribuição para os assinantes naquela vizinhança, tendo como meio o cabo coaxial ou o par de cobre.
  • Fiber to the home (FTTH) – Solução FTTH é uma arquitetura de rede de transmissão óptica, onde a rede drop adentra a residência do assinante que é servido por uma fibra óptica exclusiva para este acesso. Geralmente entre a rede drop de descida e a rede interna do assinante, é utilizado um mini-Dio ou um bloqueio óptico (FOB) para realizar a transição do sinal óptico ao interior da residência. Após esta transição, o sinal é propriamente disponibilizado através de uma extensão ou cordão óptico para o receptor óptico deste assinante.
  • Fiber to the building (FTTB) – Solução FTTB é uma arquitetura de rede de transmissão óptica, onde a rede drop finaliza na entrada de um edifício (Comercial ou Residencial). A partir deste ponto terminal, o acesso interno aos usuários é realizado geralmente através de uma rede metálica de cabeamento estruturado. Onde a fibra vai até o prédio e a distribuição para os assinantes são feitas através de uma rede Ethernet tendo como meio o cabo coaxial ou o par de cobre.
  • Fiber to the desktop (FTTD) –  Solução FTTD é onde a conexão de fibra é instalada a partir da principal sala de informática a um terminal ou fibra conversor de mídia perto da mesa do usuário.
  • Fiber to the apartament (FTTA) – Solução FTTA é uma arquitetura de rede de transmissão óptica, onde a rede drop adentra o edifício (Comercial ou Residencial) chegando a uma sala de equipamentos. A partir desta sala, o sinal óptico pode sofrer uma divisão do sinal através do uso de splitters ópticos. Sendo  encaminhado individualmente a cada apartamento/escritório. Outras alternativas de divisão interna ao prédio podem ser implementadas. O ponto terminal de acesso interno aos usuários é levado para dentro do apartamento/escritório. Sempre por uma única fibra.